Farmácias do Povo
Informações
A Empresa
Entre em Contato
 
Cuide de Sua Saúde
Higiene Oral
Informações sobre Doenças
Qualidade de Vida
Saúde e Prevenção
 
Informações
Medicamentos
Terminologias
Artigos
Farmacêutico
 
A Empresa Artigos Medicamentos Entre em Contato
 

TPM - Tensão Pré-menstrual
O que é TPM?
TPM (Tensão pré - menstrual) é uma alteração física e emocional que pode ser causada por mudanças hormonais que ocorrem com o período menstrual de uma mulher ou adolescente. Até mesmo mulheres que sofreram histerectomia (remoção cirúrgica do útero) podem ter TPM se os ovários ainda estiverem funcionando.
Principais Sintomas
Mais de 150 sintomas diferentes já foram reportados por mulheres com TPM. Os mais comuns são:
Retenção de fluídos;
Ganho de peso;
Cólicas abdominais;
Dores generalizadas (costas, articulações);
Espasmos musculares;
Seios ultra sensíveis;
Aparecimento de espinhas/acne;
Desejos por comidas específicas;
Irritabilidade;
Ansiedade;
Depressão;
Hostilidade;
Dificuldade para se concentrar/esquecimento;
Fadiga;
Mudanças na libido (apetite sexual);
Tolerância a estímulos sensoriais diminuída (luzes, barulhos, etc...).
Embora muitas pessoas passem por esse tipo de problemas em alguma época em suas vidas, em mulheres com TPM os sintomas geralmente se iniciam 5 a 10 dias antes da menstruação.
Dismenorréia
Um dos principais sintomas da TPM é a dismenorréia, a famosa cólica menstrual.
Os cientistas hoje apontam para as prostaglandinas como a causa da dismenorréia.
Prostaglandinas são substâncias químicas produzidas por elementos do sistema nervoso e em muitas outras partes do corpo. Estudos tem mostrado que mulheres com cólicas menstruais severas tem maiores concentrações de prostaglandina no fluido menstrual. Essas substâncias agem como estimulantes do tecido muscular liso. O útero é um músculo liso que contém uma abundância de prostaglandinas e antes do período menstrual a concentração de prostaglandinas no útero aumenta. Por causar contração da musculatura do útero, as prostaglandinas inibem o oxigênio suprido ao útero através dos vasos sangüíneos.
A dor associada às cólicas menstruais são similares àquelas sentidas por corredores ou levantadores de peso que se exercitam por muito tempo. Com o início do fluxo menstrual as prostaglandinas são excretadas, o que explica porque os sintomas dolorosos tendem a se dissipar depois dos primeiros dias do ciclo.
Causas, Incidência e Fatores de risco
Ainda não foi identificada uma causa exata da TPM; entretanto a TPM pode ser ligada a fatores sociais, culturais, biológicos e psicológicos. A TPM pode ocorrer em mulheres com função ovariana aparentemente normal (ciclos ovulatórios regulares).
É estimado que 70 a 90% das mulheres em idade fértil sejam afetadas pela TPM. Trinta a 40% das mulheres possuem TPM capaz de interferir com as atividades diárias e 10% possuem sintomas tão severos que ficam impossibilitadas de exercerem atividades durante a crise.
A incidência é maior em mulheres com idade entre 25 e 40 anos, aquelas com pelo menos um filho, com história familiar de depressão severa ou mulheres com um histórico de depressão pós-parto ou desordem afetiva.
Como é Diagnosticada
Uma visita ao seu ginecologista deve ser o primeiro passo a ser tomado. Ele checará seu histórico médico e fará um exame físico (incluindo exame pélvico). Ele também poderá solicitar alguns exames laboratoriais para assegurar que você não tem alguma outra doença com sintomas parecidos aos da TPM. Não há um exame único que possa diagnosticar TPM.
Após isso, seu médico provavelmente irá checar se você está ovulando (liberando óvulos dos ovários).
Como pode ser tratada
Embora não haja uma cura concreta para TPM, existem algumas medidas que você mesmo pode tomar que podem atenuar os sintomas e fazer com que você possa se sentir melhor durante o período de TPM. Elas incluem dieta e exercícios, medicamentos e possivelmente psicoterapia. O seu médico usará todas as informações do seu histórico médico, a avaliação do exame físico e seus sintomas para ajudá-la a escolher o melhor tratamento. Diga a seu médico se o tratamento está lhe ajudando. Juntos, você e seu médico devem achar a melhor maneira para lidar com seus sintomas.
Prevenção
Algumas mudanças no estilo de vida que são sugeridas no tratamento da TPM podem na verdade ser úteis na prevenção da TPM ou para evitar que ela piore. Exercícios regulares 3 a 5 vezes por semana e uma dieta balanceada (com aumento na quantidade ingerida de grãos, vegetais, frutas e diminuição de sal, açúcar, álcool e cafeína) podem ser benéficos. O reconhecimento de que o corpo pode necessitar de diferentes períodos de sono em tempos diferentes durante o ciclo menstrual também é importante para assegurar um descanso adequado.
Entre os medicamentos, os inibidores de prostaglandinas (Antiinflamatórios Não-Hormonais) como Aspirina, piroxicam e outros podem ser prescritos para mulheres com dor severa, incluindo dores nas costas, cólicas menstruais e sensibilidade nos seios. Diuréticos podem ser prescritos a mulheres que tem ganho de peso devido à retenção de fluidos. Medicações anti-depressivas e/ou psicoterapia podem ser indicadas para mulheres com graus moderado-a-severo de depressão, irritabilidade ou ansiedade. Terapia hormonal pode incluir um teste com contraceptivos orais o que pode aumentar ou diminuir os sintomas de TPM. O uso de supositórios vaginais de progesterona durante a segunda metade do ciclo é ainda controverso.
Prognose
Depois de um diagnóstico adequado e tratamento específico para os sintomas tenha sido iniciado, a grande maioria das mulheres com TPM obtém alívio significativo.
Complicações
Os sintomas da TPM podem se tornar tão severos que privam algumas mulheres de exercerem suas funções habituais. Mulheres que sofrem de depressão podem notar um aumento dos sintomas durante a segunda metade do ciclo e podem requerer ajuste na medicação que tomam. A incidência de suicídio em mulheres com depressão é significativamente maior no final do ciclo menstrual.
6 Maneiras de lidar com a TPM
Fazer algumas pequenas mudanças no seu hábito nutricional pode aliviar muitos sintomas físicos e emocionais. As sugestões abaixo são suportadas por evidências de estudos clínicos.
1. Diga NÃO ao açúcar;
2. De novo: diga NÃO ao açúcar;
3. Ao invés de comer 3 refeições ao dia, faça várias refeições pequenas durante o dia. A chave é manter seu nível de açúcar constante. Tente não ficar mais de 3 horas por dia sem comer;
4. Reduza a quantidade de sal, carnes gordurosas, álcool e cafeína. Isto inclui café, chá, refrigerantes e a maioria dos chocolates (tem cafeína e açúcar juntos);
5. Massagens com óleos podem ajudar a aliviar cólica menstrual e outros sintomas associados à TPM;
6. Exercite-se regularmente; esse hábito pode fortalecer os músculos pélvicos, ajudando na prevenção de cólicas.
Fonte:
http://www.pfizer.com.br/pop_up/saude_sexual/indice.asp
Voltar

| Higiene Oral | Informações sobre Doenças | Qualidade de Vida | Saúde e Prevenção |
Rua Ulisses Cabral, 70 | Térreo | Centro | Sapucaia do Sul / RS | 93.220-000
(51) 474-8728 | contato@farmaciasdopovo.com.br

Criado e desenvolvido por lgdesign